Jogo dos Erros: Você comete algum com o seu melhor amigo?

Quando os animais gostam de seus tutores, agem para que a relação seja perfeita, ao contrário das relações humanas, em que nem sempre existe um sentimento verdadeiro de amor e respeito. Os animais aceitam exatamente como somos e não nos pedem mudanças de comportamento ou de atitudes.

Os animais nos pedem apenas abrigo, água e comida, e, ainda assim, caso seu tutor não tenha água, comida e nem abrigo, não haverá problema, pois a atenção e o carinho já lhe são suficientes.

Mas será que você tem cuidado do seu melhor amigo da maneira correta?

Queremos o melhor para os nossos cães e nos dedicamos todos os dias para isso, porém, podemos cometer alguns erros, mesmo sem saber, e acabamos prejudicando a saúde dos nossos melhores amigos.

Abaixo listei alguns erros comuns cometidos por tutores de cães.

Sal

SalCachorroNo geral as pessoas consideram o sal, um veneno! No entanto, desconhecem que este mineral é essencial à vida da maioria dos animais. Desta forma é muito comum que os tutores, na medida que, resolvem mudar a alimentação do seu cão, passando de comida industrializada para comida caseira (feita especificamente para o seu pet) e não adicionam o sal.

Por isto que é muito comum a seguinte reclamação no consultório: – “ Dr. retirei a ração do cardápio do meu cão e estou fazendo comida caseira e ele à partir daí não tem urinado muito”

Este é um relato comum do tutor que não esta colocando corretamente a quantidade de sal necessária para o consumo deste animal, pois quando ingerimos pouco ou nenhum sal, não temo sede, diminuímos o volume urinário (prejudicial aos rins) e prejudicamos todo o nosso organismo.

Vacinação anual

VacinaCachorroO sistema imunológico do cão é diferente do Homem em relação a resposta imunológica às vacinas. As crianças, por exemplo, fazem uso das vacinas em tenra idade e a grande maioria delas não têm mais a real necessidade de revacinação, uma vez que na espécie humana há uma “memória” imunológica, o que faz com que os adultos e idosos se mantenham imunes à maioria das doenças as quais foram vacinados.

No caso dos cães, não!

Por isto, um erro bastante comum são tutores vacinarem seus animais quando jovens (primeiras vacinas) e não saber da necessidade de revacinação anual, mantendo assim a proteção imunológica do animal.

Infelizmente as pessoas normalmente descobrem isto tardiamente, ou seja, num momento em que o animal adquiriu uma doença infecciosa, como por exemplo: cinomose ou leptospirose.

Alimentação desbalanceada

AlimentacaoCachorroUm dos itens mais importantes para a prevenção das doenças e uma vida saudável independente da espécie ao qual o animal apresenta é uma nutrição equilibrada.

Desta forma, é muito comum o cão apresentar importantes alterações nutricionais em função dos tutores balancearem por conta própria alimentos na dieta do animal, na medida que eles não querem mais que os animais se alimentem de comida industrializada.

Sempre que você não quer mais fornecer ao seu animal as rações comerciais, deve-se consultar um veterinário que tenha especialização em nutrição para que ele possa prescrever uma dieta equilibrada baseada em uma série de fatores, tais como: espécie, raça, idade, castrado ou não, atividade física, ambiente (casa ou apto), estilo de vida…….

Utilização de venenos

VenenoCachorroÉ muito comum, os hospitais veterinários atenderem casos gravíssimos de animais que se intoxicaram com venenos utilizados para o combate de pragas urbanas (ratos, baratas, cupins….).

Infelizmente não temos o hábito de ler os rótulos e as formas corretas de utilização de produtos, e os venenos estão incluídos nisto, contaminando e intoxicando animais e as pessoas da casa.

O que as pessoas se esquecem é que veneno é veneno, ou seja, um veneno que é utilizado para matar baratas ou ratos, não deixa de ser veneno para cães e homens. O que muda é a sensibilidade maior ou menor que a espécie animal envolvida tem com os mesmos.

Por exemplo: as pessoas intoxicam o cão com o veneno de rato e perguntam assustadas no consultório:

” Dr., não sabia que o meu iria cão se intoxicar com veneno de rato, pois não é veneno exclusivo para matar ratos!! “

Dr. Marcos Fernandes
CRMV-SP 7287

Veterinário homeopata, psicanalista e mestre em saúde pública pela USP (SP). Comunicador da Rádio Mundial (95,7 FM) no programa Saúde Animal. Autor do livro “Cara de Um, Focinho do Outro” da Editora Butterfly

Gostou desse artigo? Compartilhe com suas amigas e passe a informação adiante.
E deixe também o seu comentário!

Até a próxima