Meu cão é medroso, como posso ajudá-lo?

O medo nos cães é um tema sempre abordado em consultório veterinário, sendo que os mais comuns são: barulho, trovão, chuva, pessoas estranhas, crianças, outros animais, de lugares escuros, de andar de carro, de homem, etc.

Há uma graduação para o medo, que vai desde um quadro de intolerância até a síndrome do pânico, em que o animal não consegue, por exemplo, andar de carro, ficar em locais fechados, estar sozinho, entre outras situações.

De todos os transtornos de comportamento, o medo é o que mais pode ser influenciado pelo tutor ou pela atitude dele diante da situação de medo do animal.

Por exemplo, se você é daquelas que cobre o animal de carinho, na medida que percebe que o seu cão está começando a apresentar o medo por alguma situação, com certeza, você está potencializando o problema, pois além de reforçar a insegurança do animal, está também concordando com ele.

Normalmente os medos dos cães têm explicações, por exemplo:

– Animais que sofreram maus tratos nas ruas, por exemplo sendo agredido por pedaços de pau e hoje apresentam medo de cabo de vassoura.
– Cães que foram atacados por outros animais e hoje têm medo de outros cães.

No entanto, há cães que têm medo simplesmente de tudo, são os chamados em Terapia Floral “medos inespecíficos”. São normalmente animais assustados.

Podemos citar como exemplo: cães que têm medo de sacolas de plásticos ou de moscas voando próximo a ele, de barulho de vento, enfim, praticamente qualquer coisa os deixa assutados.

Estes animais necessitam de tratamentos da medicina complementar, que são aqueles que vão ter acesso ao seu plano mental e emocional, sem apresentar efeitos colaterais, além de ter um tutor que passe o máximo de segurança e conforto nos momentos em que ele apresentar a crise.

Dr. Marcos Fernandes
CRMV-SP 7287

Veterinário homeopata, psicanalista e mestre em saúde pública pela USP (SP). Comunicador da Rádio Mundial (95,7 FM) no programa Saúde Animal. Autor do livro “Cara de Um, Focinho do Outro” da Editora Butterfly

Gostou desse artigo? Compartilhe com suas amigas e passe a informação adiante.
E deixe também o seu comentário!

Até a próxima