A Importância do Tratamento do Tutor

Em nenhum momento da história da humanidade a relação entre o tutor e os animais foi tão intensa, importante e questionada quanto neste exato momento. Nunca houve tanta ligação, seja física ou afetiva e nem tamanho envolvimento emocional e apego dos humanos para com os animais, especialmente os cães.

Hoje o animal é muitas vezes mais que o filho da família, pois este, com o passar do tempo, fica cada vez mais independente e aos poucos como um pássaro, cria asas e voa.

Até algum tempo atrás os veterinários tinham como foco apenas o animal de estimação! Toda a importância e responsabilidade do tratamento e da cura estava focado no diagnóstico da doença e nos medicamentos prescritos pelo médico.

Atualmente através da psicanálise praticada nos meus atendimentos de consultório, têm feito toda a diferença para o entendimento de algo que intuitivamente muitos veterinários já sabiam, ou seja, os tutores influem diretamente na doença ou nos sintomas que os animais apresentam, potencializando-os.

Esta influência é claramente percebida pela relação de semelhança entre os animais e seus tutores (“cara de um focinho do outro”) onde muitos animais, especialmente aqueles mais humanizados, que “copiam” a doença de seus donos, por exemplo: tutores ansiosos têm cães ansiosos, tutores alérgicos têm cães alérgicos e assim por diante.

Hoje tenho a convicção que muitos animais atendidos pelos médicos veterinários somente vão apresentar melhora ou cura de seus sintomas (especialmente nas doenças crônicas e incuráveis), na medida em que o profissional também olhe com atenção para o seu tutor ou ambiente ao qual o animal está submetido, pois os animais captam o inconsciente individual (dono) e/ou da família (inconsciente coletivo) somatizando sentimentos como por exemplo: raiva, angústia e tristeza em doenças físicas.

Dentre as doenças, que mais recebem influências dos proprietários, estão: alergias, dermatites, neoplasias (câncer) e transtornos psíquicos (depressão, pânico, medos, compulsões, manias, entre outras.

Desta forma, o trabalho do veterinário psicanalista está no tratamento do animal e na terapia (análise) dos seus tutores!
A psicanálise na veterinária é uma nova visão e uma quebra de paradigma!

Dr. Marcos Fernandes
CRMV-SP 7287

Veterinário homeopata, psicanalista e mestre em saúde pública pela USP (SP). Comunicador da Rádio Mundial (95,7 FM) no programa Saúde Animal. Autor do livro “Cara de Um, Focinho do Outro” da Editora Butterfly

Gostou desse artigo? Compartilhe com suas amigas e passe a informação adiante.
E deixe também o seu comentário!

Até a próxima